quarta-feira, 8 de julho de 2009

Quem sou eu pra você? Quem é você para mim?


Desenhos do destino, traduções infindas,
Nas cores singelas, nas idas e vindas,
O mesmo Sol, a mesma Lua,
Tão real quanto o acordar de uma pequena flor,
Tão irreal quanto um sonho de amor...
Mas simples,... cordial e sincero.
Por mais que intradutível entendo a tua lingua
E em teus olhos vejo amanhecer meus dias
E quando a noite vem, a lua vem clarear nossas almas
Nos levando ao sonho que pensamos ser verdade.
E lançamos nossos corações entre as estrelas,
E eles voam como vaga-lumes a dançar,
A música serena do universo, dos sonhos que se reconhecem num único olhar,
E vamos flutuando,... formando vapores de amor
Diluimos nosso ser em pequenas moleculas risonhas
E quando juntamos nossas palavras escrevemos o romance dos deuses.
Numa forma crua de amar
A nossa necessidade de estar e ser o que queremos e acreditamos.
O que acreditamos e sabemos encontrar!
E nos encontramos onde sabemos que podemos existir.
Dentro de nós. Em ti e Em mim.
Em mim e em ti!


Julianne Melo & Lucas Santana (Os Poetas das estrelas!)

Um comentário:

Ana Karulina disse...

"Por mais que intradutível entendo a tua lingua
E em teus olhos vejo amanhecer meus dias"

Dificil é compreende-lo, difícil é entender o que tem por de trás de tantas ações e palavras sem sentido.
Mas mesmo assim vejo em seus olhos o amanhecer dos meus dias. Sinto como se meu coração fosse fugir toda vez que eu lhe olho, lhe toco, lhe sinto.

O coração tem razões que a própria razão desconhece. Bem real essa.

;)

Lindo Julie, como sempre.

beijão minha força água.