sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Superfície

Não me fale o que não quer dizer
Nem me mostre o que não quer viver
Não me ensine o que eu não vou ser
Não me projete, eu não sou você
Não afirme o que eu não sei negar
Não sei olhar sem me aprofundar
Não me abrace só na hora de ir
Não me pergunte o dia, se ele foi ruim
Quando me diz o que eu não quero ouvir
Não negue o que não vai notar
Não finja o que não quer sentir
Não me cale quando eu for falar
Não me peça o que eu não quero ter
Não me julgue o que eu não sou
Não me deixe partir sem saber!
Não vim pra navegar nas águas da superfície
Mergulho sem medo nesse mar de viver
Na sorte de um amor tranqüilo
Quero voar livre todos os dias e renascer!

Um comentário:

Ana Karulina disse...

É como olhar o mar e não ver a beleza que está lá.
Saber que o vento está soprando, mas não senti-lo no rosto.
Ouvir apenas palavras quando uma alma está se revelando.
Ganhar um simples beijo, sem entender que está ganhando também um coração.

Estar feliz e não ver que existe muito mais, que vida torna-se única a partir do momento que acreditamos na beleza da alma e no sentimento verdadeiro.
;*

Amoo-te minha coruja.