quinta-feira, 15 de julho de 2010

Falarei...





Das poesias, frases e fases, aquarelas e telas, vindas e idas, descobri a cor do meu viver. Desfiz sonhos em pedaços, outros permaneceram intactos, distraí os meus medos, e desmanchei minhas lágrimas em pétalas de flor! Lutei contra o tempo, briguei com a dor, morri e renasci a cada despedida, a cada fluir de um recomeço, a cada perda, e ao ver as palavras caindo em precipícios, corri entre os campos e as colinas, teci minhas asas, e dei vida ao vôo da minha história. Dos grãos cristalinos da superfície de uma estrela e das luzes de um cometa, criaram-se as asas... Asas do sem-fim, despertando a liberdade e coragem, pra viver os valores plantados no jardim!
Os sonhos guardados renovaram-se com o ar puro vindo das montanhas. Varreu as folhas secas da casinha de madeira, e reacendeu a lareira, esquentando a alma. E o jardim feito de emoções e razões, que sobrevivem, foi colorido de nuances de paz e raios de luz por todos os cantos. Algumas roseiras indispensáveis... Flores amarelas! Pequenos girassóis! Jardim secreto e eterno de outonos e primaveras suaves... Onde o vento ecoa as vozes macias dos pássaros poetas e revelam a essência viva da pureza de um sonho! Tão real, tão natural, tão simples! Dos tesouros da infância que minha alma nunca abandonara, por ela sobreviveu e caminhou até aqui!

Um comentário:

Ana Karulina disse...

Dores, angústias
tristezas e lamúrias
lágrimas e dor
decepções e desamor.

Tudo passou
E o tempo me ajudou a levantar
O amor curou
E eu aprendi a acreditar.

Do sofrimento
nasceu o sentimento
crer no impossível
e escolher o inatingível.

A fé retoma em cada passo
E hoje me tenho por inteira
E não perco o compasso
E vivo a vida a minha maneira.




;D

Amo essa lôra tatu