quinta-feira, 15 de julho de 2010

Saudade



Eu só queria agora
Deitar sob a luz da aurora
Dormir nos sonhos de outrora
E me ver sendo inteira e tua
Eu só não imaginava ser
Essa distância tão amarga
E nem minha fraqueza enrijecer
A cor do nosso conto de fadas
Eu só não tenho força pra entender
Como contemplar o sol e a lua
Por onde caminhar
Se perdi o endereço da tua rua
Se eu pudesse ouvir do vento
As respostas que preciso
O que fazer das minhas escolhas
Pra que lado eu sigo
Se eu pudesse ler nas estrelas
O porquê disso tudo
De onde vem esse medo
Por que de repente fica tudo escuro
Se eu pudesse agora caminhar no universo
Como há tempos eu fazia
Fechar os olhos e flutuar os meus pés
Compondo as respostas que preciso
Nas asas dos cometas, em poesias
Deleito minha alma na dor saudade
Alimentando-a de tudo o que passou
Grito meu choro e nego à realidade
Numa viagem ao templo de esperanças
Busco tua eterna presença
No amanhã que não chegou!

Um comentário:

Ana Karulina disse...

O amor nunca está distante, sua força, sua magia permanece presente a cada instante.
Nada disso irá atrapalhar, nenhum medo, nenhum temor irá abalar a força desse sentimento, só se você deixar.
Acreditar na beleza da vida e como ela é perfeita em sua imensidão, pois não há nunca razão para o que se passa no coração.
Feliz é aquele, que seu amor tem. Feliz é aquele, que com a fé permanece no bem.


;*